*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*MEU PERFIL *...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*


Nome:Nilceu
Idade:Ah!
Cidade:Campinas-SP
Eu gosto:Da Vida
NickName: Nil
Signo:Câncer



LINKS AMIGOS


MEUS OUTROS BLOGS


Links

APEOESP
Baixaki
BOL
D.E.Cps Leste
D.E.Cps Oeste
D.O.Campinas
Geovisite
Globo
Imposto Renda
Secr. Educação
Secr.Fazenda/Folha
Superdownloadas
Terra
Uniblog
UOL
Yahoo

Philip_Sousa-The_Crusader_March


Votação

Dê uma nota para meu blog

Indique esse Blog

14/08/2011 a 20/08/2011

07/08/2011 a 13/08/2011

17/07/2011 a 23/07/2011

10/07/2011 a 16/07/2011

03/07/2011 a 09/07/2011

26/06/2011 a 02/07/2011

08/05/2011 a 14/05/2011

17/04/2011 a 23/04/2011

03/04/2011 a 09/04/2011

13/03/2011 a 19/03/2011

06/02/2011 a 12/02/2011

23/01/2011 a 29/01/2011

02/01/2011 a 08/01/2011

21/11/2010 a 27/11/2010

14/11/2010 a 20/11/2010

05/09/2010 a 11/09/2010

15/08/2010 a 21/08/2010

25/07/2010 a 31/07/2010

02/05/2010 a 08/05/2010

14/03/2010 a 20/03/2010

07/02/2010 a 13/02/2010

13/12/2009 a 19/12/2009

01/11/2009 a 07/11/2009

25/10/2009 a 31/10/2009

04/10/2009 a 10/10/2009

16/08/2009 a 22/08/2009

28/06/2009 a 04/07/2009

14/06/2009 a 20/06/2009

10/05/2009 a 16/05/2009

12/04/2009 a 18/04/2009

01/03/2009 a 07/03/2009

01/02/2009 a 07/02/2009

18/01/2009 a 24/01/2009

28/12/2008 a 03/01/2009

14/12/2008 a 20/12/2008

07/12/2008 a 13/12/2008

30/11/2008 a 06/12/2008

23/11/2008 a 29/11/2008

09/11/2008 a 15/11/2008

19/10/2008 a 25/10/2008

05/10/2008 a 11/10/2008

28/09/2008 a 04/10/2008

31/08/2008 a 06/09/2008

17/08/2008 a 23/08/2008

10/08/2008 a 16/08/2008

03/08/2008 a 09/08/2008

27/07/2008 a 02/08/2008

20/07/2008 a 26/07/2008

13/07/2008 a 19/07/2008

06/07/2008 a 12/07/2008

29/06/2008 a 05/07/2008

22/06/2008 a 28/06/2008

15/06/2008 a 21/06/2008


Visitas

Créditos



Dois anos depois, jovem que perdeu todos os dentes em erro de dentista no DF ainda aguarda cirurgia de implante

 

O jovem César Oliveira Ferreira, 19 anos, quase não sorri; quando o faz, se apressa em levar a mão à boca. Nos últimos dois anos, o contato dele com outras pessoas da mesma idade também minguou, mas não porque elas tenham se afastado --é ele mesmo quem faz questão de se afastar. Engana-se, no entanto, quem pensa que o comportamento do rapaz, que é deficiente mental, se deve a timidez pura e simples: César teve todos os 28 dentes arrancados em setembro de 2009 em uma cirurgia desastrosa na qual apenas dois dentes deveriam ser extraídos. O caso aconteceu em Brasília no Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), que integra a rede pública de saúde do Distrito Federal (DF).
 

À época, o então adolescente de 17 anos faria a extração em um consultório. Nervoso, foi encaminhado pelo cirurgião-dentista ao HRAN, onde recebeu anestesia geral. Alegando uma suposta patologia na arcada dentária do paciente, o profissional só comunicou a mãe de César sobre o procedimento depois de realizadas as extrações. A dona de casa Maria Aldenora de Oliveira, 49, no entanto, recorda com tristeza a forma como descobriu que o filho ficara na nova situação: “Eu estava no centro cirúrgico toda paramentada com roupa, bota e touca, mas em uma sala ao lado daquela onde ele estava. Só depois de tudo feito que pude entrar. Fui limpar a boca do meu filho, que sangrava, e vi que ele estava sem nenhum dente na boca --fiquei sem ar, sem chão, parecia que tinha batido a cabeça, tamanho o meu desespero”, disse, em entrevista ao UOL Notícias.
 
A mãe denunciou o caso ao Ministério Público no DF e entrou com uma ação por danos morais e materiais na Justiça comum contra a secretaria estadual de Saúde, que, após o fato, chegou a afastar temporariamente das funções o cirurgião-dentista e a chefe da área odontológica do HRAN. Do processo contra o órgão estadual a dona de casa ainda não obteve uma resposta; pelo MP-DF, a família conseguiu que o profissional concordasse com acordo indenizatório pelo qual depositará em uma caderneta de poupança, em 17 parcelas de R$ 3 mil, cada --que começaram a ser pagas ano passado --, a soma de R$ 51 mil.
 


IML


 
Além da não comunicação do procedimento à família, conduta vedada pelo Código de Ética dos profissionais de Odontologia, o cirurgião dentista também errara pelo procedimento em si. A constatação foi feita dias depois de o caso ganhar publicidade --com a denúncia da mãe de César --em laudo do IML (Instituto Médico Legal) de Brasília, cuja perícia concluiu que, tecnicamente, não havia qualquer necessidade de extração dos outros 26 dentes do jovem. O diretor do IML, Malthus Fonseca Galvão, afirmou na ocasião não existir qualquer problema grave nos dentes do paciente: a perícia constatou apenas pequenas ocorrências mínimas, como cárie e problemas na gengiva.
 


Dois anos, duas cirurgias, nenhum dente


 
Desde a extração, o jovem passou por duas cirurgias de um grupo de voluntários composto por cirugiões e professores do DF, mas para colocação de enxerto e de pinos. O grupo é coordenado pelo presidente do CRO (Conselho Regional de Odontologia) do DF, Júlio César, entidade que livrou o cirugião de punição em processo ético deflagrado pelo caso César.
 
A previsão do presidente do CRO-DF é que “em no máximo duas semanas” o jovem seja submetido a cirurgia para colocação de dentes provisórios, e “mais 15 a 20 dias” para os dentes definitivos. “Na época foi um oba oba, todo mundo querendo sair na fotografia, mas tínhamos que tratá-lo com dignidade. Por isso esse grupo resolveu tomar a frente para resolver o problema da família --e posso dizer que o deixaremos com o melhor tratamento de implante do mundo”, prometeu. O que motiva a solidariedade com um tratamento caro para tentar corrigir o erro de outro profissional? “Solidariedade, apenas”, resumiu o presidente do CRO-DF.
 

Rotina transformada

 
A dona de casa conta que o erro como o do cirurgião-dentista mudou não apenas a vida do filho, como do restante da família. Hábitos simples como o churrasco do fim de semana se tornaram algo praticamente proibido em casa a fim de que o jovem não sofra ainda mais com a limitação imposta.
 
“Mudou tudo na nossa rotina, né? No início ele não queria mais ir à escola (a Apae-DF, Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais do DF), pois ficou com vergonha. Depois de um mês voltou, mas fica com certo receio, com vergonha... a auto-estima nunca mais foi a mesma, pois ele vê as outras pessoas sorrindo e se retrai. Apesar da deficiência, ele entende bem”, conta a mãe. O receio a que ela se refere já se manifestou, por exemplo, em ações relativamente simples como a retirada de sangue para exames. “Preciso conversar muito antes porque ele fica preocupado, triste; criou um trauma. Também deixei de fazer churrasquinho, e ele ama churrasco, pois desde que isso aconteceu fica mais à base de comida pastosa. Não é fácil”, relata a dona de casa.
 
Religiosa, ela garante acreditar que “tudo tem um motivo para acontecer”. Mas também mostra fé em que a Justiça dos homens ainda possa trazer algum efeito benéfico de tudo que passou com o filho: “Essas decisões demoram e sei que dinheiro nenhum compensa o que meu menino passou. Meu marido tem emprego (é funcionário público de serviço social) e temos casa própria. E esse doutor --que, segundo me falam, é uma pessoa boa --tem cumprido a meta colocada pelo Ministério Público (o pagamento da indenização, parcelado)”, define, para ressalvar: “Mas se eu fico quieta, onde isso ia parar, se é dessa forma que agem com pessoas que a gente chama de especiais? Pelo menos tenho muita fé que meu filho vai ter um sorriso lindo de novo. Isso eu sei.”

UOL

Produzido por Nilceu

Haloscan:

Zip Net:




*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*ENVIE SUA MENSAGEM *...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*...*